Zyon

Zyon, meu menino, meu amor, meu amigo-irmão, minha alma gêmea.
De todas as ´artes´ que você já me aprontou, essa foi a única que me deixou sem chão. Me deixou sem ar, sem cor, sem rumo, sem reação, sem graça: me deixou sem nada.
Lutamos juntos durante 9 meses e você foi um guerreiro até o último minuto, meu filhote. Mesmo com o corpinho fraco e debilitado, vi você lutando pela vida, querendo ficar. Eu também queria que você tivesse ficado, meu preto. Eu também te amo demais.
Meu peito está apertado e tenho um nó na garganta. Na verdade, sinto que vou sufocar de dor. Mas quando lembro que estive o tempo todo ao seu lado e que pude te transmitir serenidade e o meu amor infinito por você, consigo sentir um pouco de paalívio. Gosto de pensar que você foi em paz, se sentindo seguro e amado.
Dizem que o cão é a cara do dono e com você entendi como isso pode ser verdade. No nosso caso, você sempre foi meu dono; ou o último ´au´ era seu, ou tudo acabava em mordida. E agora, como vou viver sem a minha metade?
A tua personalidade é única, Zai, e isso te torna inesquecível pra todos que te conheceram. Você nunca passou despercebido por lugar nenhum.
Foram 14 anos de amizade, de parceria, de cumplicidade e de aprendizado. Se você soubesse o quanto me ensinou…
Só tenho a te agradecer por ter me escolhido e me amado. Te amo, o teu lugar no meu coração nunca vai estar vazio, você sempre vai estar comigo.
Fique bem e não morda ninguém no céu dos bichinhos, ok?