Zulu

Zulú, Zulo… Zulão…
Essas eram as formas de chamá´lo aqui em casa.
Jeitão tranquilo, comilão e adorável olhar impenetrável… incompreensível…
Você ocupou um espaço grande em nosso coração, nos proporcionou a oportunidade de sentir uma ternura e um amor incondicional.
Você se foi sem aviso, partiu numa tarde de verão.
Sentimos a sua falta pelos cantos da casa, no colo que não daremos mais a você, do olharzinho pedindo passeio ou comida, mas nos resta o consolo de termos feito tudo o que era possível para sermos felizes juntos…