Woopy Tad"s Henriques

Ainda lembro quando aqui chegaste
Pequena porção de carne e pêlos
De olhos úmidos e choro mansinho
Guardiã incansável e atenta
Uma brava lutadora que nunca se entrega
E o doce companheira das horas solitárias

Mas o nunca um dia chega
E deixa nossos sonhos opacos
O pesadelo na tormenta que se anuncia
E o teu brilho se converte em cinza
Estirado no chão em muda entrega
Opacos olhos inertes que jamais esquecerei

E quase sem querer ganhas a liberdade
Deixando em meu rosto nuvens de chuva
E a morte leva a quem gostamos
Para correr eternamente a céu aberto
Pastoreando nuvens desgarradas

Minha doce companheira,
bolinha de pelos macios, preta,
minha amiguinha, menina, brincalhona,
nos presenteou com sua alegria, seu amor
tão puro, tão sincero, durante 05 anos…
mas é o ciclo da vida, chega para nós,
chegou para ela…Woopy, minha linda…
viveu feliz, foi amada, mimada,
se tornou inesquecível, para sempre em minhas
lembranças, todas boas, todas felizes!

Woopy…hoje brinca de esconde´esconde
no céu aberto, por entre as nuvens desgarradas…

Mayara Tourinho