Toy

São Paulo, 25/04/2011
Toy, Toyzinho,
Foi em uma tarde ensolarada do dia 17 de Fevereiro que você, nosso Toyzinho, nos deixou, dormindo serenamente, deitado no seu cobertorzinho “tesouro” e na casinha que adotou depois que sua companheira Aruska também partiu…
Desde então estamos órfãos de você, da sua presença, sua alegria imensa, da doçura e do amor sempre demonstrado em cada olhar.
O que dizer agora? Como viver sem você? Você não era um cão, era uma “pessoa da família” e nada do que eu possa dizer aqui vai fazer jus ao ser maravilhoso que você foi.
Obrigado, por ter estado estes 15 anos conosco, por ter entrado em nossas vidas e nos ensinado a sermos pessoas melhores, por nos amar incondicionalmente e mesmo à distância…
Obrigado por ter feito com que eu me levantasse quando achei que não conseguiria e por ter me ajudado a voltar à vida, a sorrir e a sonhar…
É difícil voltar para casa e não te encontrar à espera, não poder cantar para você uma das muitas musiquinhas inventadas ao longo desses anos, não ver você correndo pra buscar seu “tesouro” e trazer pra dentro, tudo que fez parte da nossa história, enfim, muitas coisas que só nós sabíamos.
Gosto de pensar que foi assim, que você não sofreu, que não ficou doente e que hoje está no céu junto a Aruska e outros amiguinhos, brincando em outra dimensão e olhando por nós… Vai ser assim até o dia em que nos encontrarmos novamente…
Desculpe por não ter sido o melhor “pai” do mundo mas tenha certeza que nosso amor por você será eterno e a saudade que sentimos só terminará no dia em que deixarmos de existir…
Emerson, Milton e Marisa