Tikinha

15 anos de companhia. Menina travessa, quantos sofás roídos e rasgados, quanta alegria e quanta energia, até o fim. Agosto de 1998, me lembro agora, como se fosse ontem. Fui buscar você e de imediato você virou o brinquedo da menina Xiquita e da Kika. Nunca brigaram, sempre passeando juntas.
Elas foram antes, mas você foi adiante, nem um derrame a dois anos derrubou você, mas os dias de idade chegaram, mas foram gratos a você.
Sentirei falta dos teus roncos, eram tão altos, que mesmo no tempo em você dormia fora de casa, eu precisei muitas vezes te acordar, para eu conseguir dormir, sentirei falta dos teus latidos, teus sorrisos, sim, pois você era um cão que as vezes sorria.
Mas nos reencontraremos e um dia atravessaremos junto aquela ponte da qual te falei, todos nós, juntos novamente.