Tica

Querida menina! Minha menina! Nossa Tica!

Há dois dias, você foi embora.Sempre mostrou para nós o que era ser feliz. Foi encontrada, abandonada na beira da estrada, pela Ale. Foi levada para o Hospital Veterinário e lá deram muitos remédios, com pouca chance de vida. A Ale levou você para casa e seria por “pouco tempo”. Você começou a dormir na cama da mamãe, comeu dois pés de sapatos, mastigou uma ponta do armário, comeu panetone de chocolate escondida (aliás, dois panetones), comeu muita coisa escondida e sabia que estava errada. Foi sempre e sempre uma companheira de nossas alegrias, tristezas, solidões, problemas,….. quantas vezes choramos pela vida, com você deitada ao nosso lado, nos olhando e querendo lamber a gente.
Foi uma menina voluntária e todas as crianças afastadas de suas famílias adoravam quando você chegava para as visitas. Entendemos, naquele momento, qual era a sua missão nesta vida: ajudar, levar alegria para quem precisava.
Você levou alegria, para a SUA família nova e seus amigos humanos. Seu rebolado para subir escadas era fantástico! Sua bagunça com as pessoas queridas por nós e por você era maravilhosa. Não havia freio, porque você pulava, ia buscar a “bolinha” que, na realidade, era qualquer coisa que pudesse pegar para fazer cabo de guerra. Mostrava sua linda e charmosa barriga de dálmata, de tantas pintinhas. Agüentou alguns filhotes em casa que lhe enchiam, com MUITA paciência, porque a gente estava ajudando e eles teriam um lar. Quanta paciência! Era limitada, mas havia paciência!
Tica, você não era uma cachorrinha. Era um ser com muita sensibilidade. Rezamos muito por você, porque não acreditamos que Deus coloque bichinhos neste mundo para que simplesmente acabem. Temos certeza que não é assim. Há muito mais na lembrança, no apego, na missão. Você é a nossa menina! Não haverá outra em nosso coração da mesma forma como você entrou e ficou em nossas vidas! Você tem uma marquinha registrada em nossas vidas. E é assim que a gente quer que fique. E assim será.
Seu olhar de “São Bernardinho” estará sempre em nossa memória… se pudéssemos, guardaríamos seu chulézinho tão cheiroso em um potinho para termos sempre conosco.
Os animais são nossos anjos da guarda aqui na terra… estão sempre ao nosso lado, na alegria e na tristeza… incondicionalmente.
Saudades, amor da mamãe! Saudades menina!
Saudades, muitas saudades de quem recebeu seu carinho de maneira escandalosa e bagunceira e de quem recebeu seu carinho delicado: toda a família Novak.
Obrigada por ter nos dado tanto.
Elenice, Ale e Re, Tatucho (quem deu o jipinho para você e Lala brincarem), Laka ( a sua amiga de moda, de escolinha, de festa e de brincadeiras e da primeira motoca), Natália (a chatinha que lhe incomodava enquanto você dormia e que pegou a motoca de vocês) e o Brad(que você estava ensinando como usar celular e que ainda não tinha um jeito mais “meigo” de brincar com você, mas que estava aprendendo a brincar com uma menina “delicada” como só você poderia ser).
Hoje, amor da mamãe, é meu aniversário e eu queria você aqui, junto da gente. Mas, eu lhe dou o beijo por esta mensagem. Agora, esta na hora de você descansar e damos nossos colos e corações.
Que São Francisco de Assis nos entenda e a abrace.
14 de agosto de 2009