Pitz

O Pitz nasceu em 1994, bem pertinho do meu aniversário.
Foi um presente enviado por Deus e concebido pela Mimis, sua mãe e minha primeira gata.
Era uma ninhada de 5 filhotinhos, todos igualzinhos.
Foi só alegria até o dia que meus pais disseram que eu poderia ficar com somente um deles… Mas como escolher um só, se eles eram tão parecidos? Bom, pois foi o Pitz quem me escolheu.
Então ele cresceu, forte e saudável, aprontando bastante e sempre brincalhão.
Tivemos alguns momentos de tensão né, Pitz, quando você mordeu a mão do meu pai, quando você pegou o passarinho do vizinho, quando você levou dois tiros de chumbinho…
Ah, e sem contar a vez que nós mudamos para a praia e você ficou um mês desaparecido!
Quando a Mimis veio a falecer, nós ficamos ainda mais próximos.
Eu sentia a tristeza vinda de cada gesto e expressão de seu rostinho.
Foi então, que eu passei a ser a "mãe" dele e ele o "meu filho".
A vida passando, a mudança para Curitiba e o meu pai que também se foi…
Mas veja: Deus foi bom e logo nos mandou o Shippou (que sufoco, hein?) e a Mimosa, para nós reconfortar e ajudar a superar o momento difícil.
Agora ele tinha duas mamães para cuidar!
Eu brincava que os meus 3 gatos eram minhas 3 personalidades e tudo fazia parte de um equilíbrio perfeito aqui em casa.
Dormíamos juntos, comíamos juntos, viajávamos juntos e tudo mais. Até o dia em que o Pitz foi diagnosticado com um câncer no fígado…
Ninguém mais acreditava nele, mas então ele provou para todos a sua força de vontade de viver.
Esfregou na cara de todo mundo o quanto ele queria continuar com a gente, o quanto ele era forte, e em dois anos de sobrevida com o câncer e suas limitações, o quanto ele era feliz, o quanto amava e era grato pela sua família.
O Pitz nos ensinou a VENCER.
Pitzinho "mótxi", você foi mais do que um gato pra mim.
Você foi meu filho, meu irmão, meu companheiro, meu verdadeiro amigo(você era o único que me aguentava até o final),meu protetor e meu professor.
Eu não tenho como expressar em palavras o quão importante você foi na nossa vida e o quanto nós te amamos.
Mas viu, eu entendo agora que você cumpriu sua missão aqui conosco e que você precisou seguir.
Pena que lá no Céu não tem Whiskas Sachê, mas tem conforto muito melhor, junto da Mimis e do meu pai.
Você é insubstituível e sempre vai morar aqui em nossos corações.
Com amor eterno, Aline e Ana Luce.