Pantufa

Querida Pantufa,

A sua morte marca o fim de uma era. Parece que foi ontem que fui buscar você em São Paulo. Uma viagem que valeu a pena. Sem querer, passaram-se doze anos. Fizemos muitas coisas juntos nesse tempo. Coisas que agora são apenas memórias, mas que ficarão guardadas comigo para sempre.

Perdoe-me por algumas decisões que tive que tomar sem te consultar. Principalmente a última de te deixar na clínica. Se soubesse que você estava tão doente, não teria deixado passar tanto tempo. Eu realmente achei que você ia se recuperar, e ninguém me disse que não.

Sentimos sua falta. É difícil olhar pro seu cantinho e não te ver. Um dia, quando eu também me livrar dessa forma rígida de matéria, nos encontraremos todos. Por hora, só muitas saudades e um aperto no coração.