Max Júnior

Eu já perdi cachorros na minha vida antes, mas confesso que nenhum doeu tanto como perder você.
Cuidamos do Max Junior, intimamente chamado de ´Juninho´, desde o nascimento. Vimos ele nascer (literalmente), passamos noites em claro com medo da Lola (mamãe) esmagar ele quando ele tinha nem sequer 1 mes, demos mamadeira na boca quando achamos que o leite materno não estava sendo suficiente e cuidamos sempre, desde o princípio.
Estivemos lá quando abriu os olhos pela primeira vez, quando aprendeu a andar, quando comeu ração pela primeira vez, na primeira vacina, no primeiro banho, no primeiro ossinho. Ele foi como nosso filho mesmo e por isso estamos sofrendo tanto.
Não conseguimos falar dele sem chorar e até Max e Lola estão deprimidos sentindo a falta do filhinho. Me pego chorando várias vezes ao dia mas sei que um dia a dor passa e ficam somente as lembranças boas.
Ficam as lembranças boas do Juninho e a certeza de que ele aproveitou bastante esses 4 meses e meio de vida.
Viveu intensamente, nos fez rir e amar ele muito a cada dia. Foi muito apertado, amassado, sacudido carinhosamente e beijado! Brincou muito com a Lola e atazanou bastante a vida do Max! Aprendeu até a nadar (só faltou aprender a descer escadas!)!Ele tinha até uma musiquinha que cantávamos pra ele! Carregou para a cama dele todos os sapatos e meias disponíveis na casa(ainda espero ter meus sapatos roubados quando os tiro). E no fim, foi embora rapida e repentinamente com a certeza de ser muito amado. Em seus últimos momentos, teve a minha presença e do Edu ao lado dele, assim como muito cafuné no topete e beijinho na cabeça.
Foi embora em companhia do seu bichinho de pelúcia favorito, mas ficará pra sempre em nossa memória.
Te amamos pra sempre, Max Junior.
Papai, Mamãe, Max e Lola