Marianna

Fazem quase onze anos, mas parece que foi ontem…
Nós fomos lá, para te conhecer, conversamos com os seus pais anteriores, eles a chamaram…
Marianna??? Como pode uma cachorrinha tão pequenininha entender e atender por este nome???
E veio você, correndo, daquele seu jeito bonito, e também, daquele jeito só seu, deitou-se a nossos pés, virou de barriga para cima, pedindo para fazer um agrado em sua barriga, em sua cicatriz… Foi amor à primeira vista… Nos conquistou… Veio conosco…
Não poderia ser diferente, você estranhou a princípio o seu novo lar, sua nova família, seu novo companheiro de casa de quatro patas… mas, com o tempo, e não foi muito longo o tempo, você se integrou, e logo logo, era a princesa da casa…
Aprendemos muito rápido a ama-la, e a entende-la, a curtir o seu jeito e as coisas que você gostava… os seus brinquedos, os apitos de cada um de seus bichinhos, a sua cama, a sua coberta, a sua almofada…,
Você nos conquistou e nos cativou, seu olhar era algo de especial, você muitas e muitas vezes se comunicava conosco somente pelo olhar, aqueles doces olhos negros…
Você não gostava que as coisas fugissem da normalidade, ficava agitada, latia muito, nos informando que as coisas estavam erradas, enquanto não acertássemos tudo, você não sossegava…
Marianna, Marianninha, Naninha, Nininha, você sabia quando algum de nós estava chegando em casa, mesmo sem ninguém avisar!
Os anos foram passando, você foi envelhecendo, nós cuidando de você, cuidando de sua saúde, nos preocupando contigo… como você foi querida…
Então, de repente, sem nenhum aviso, você nos deixou, ficou um vazio imenso, uma saudade sem fim…
O tempo todo me lembro de seu olhar, de seu jeito de nos recepcionar quando chegávamos, com seus passos, agitando freneticamente seu cotoco, a sua alegria, o seu carinho, o seu jeito dengoso de pedir carinho… Marianna, que falta você nos faz, e que alegria e felicidade por você ter feito parte de nossas vidas!!! Jamais a esqueceremos…