Ludo

Sempre dizíamos que não o adotamos, mas sim que ele nos adotou. Escolheu a casa antes da nossa mudança e permitiu nossa entrada em sua vida, uma brincadeira é claro, mas que prova como amam incondicionalmente. Palavras nunca serão suficientes para expressar como foram esses 11 anos que se passaram, aprontava todas, escalava tudo o que era possível – até mesmo a casa, corria atrás de estranhos na rua, sujava a casa, destruía a própria cama, torturava passarinhos, mas era um super companheiro que adorava carinho, adorava laranjas, adorava dançar e odiava ser tosado.
Voltar para casa e não ser recebida por ele é muito doloroso, estamos aprendendo a lidar com isso. Toda a família te ama muito, muito, muito.
Descanse em paz meu lulu.