Little Boy

Little Boy
Quando você apareceu na nossa construção, achamos que você poderia ser da nova vizinhança… Tentamos procurar seu dono.Aí é que nos demos conta de que você era mais um abandonado.
Já tínhamos um cão e levamos você para ser seu amigo.
Logo que chegou, você mostrou que era baixinho, mas que mandava no pedaço…
Sempre foi de forte personalidade…
Demos duros para lhe ensinar aonde devia fazer as suas necessidades.
Você sempre foi muito companheiro…
Sempre que chegávamos, ia nos receber.
Pensávamos que você viveria mais do que o Duque e quando isso acontecesse você ganharia um lugar especial dentro da nossa casa, porque você sabia se comportar muito bem dentro dela…
Mas não foi o que aconteceu.Com oito anos e meio e apenas um mês doente, nos deixou. Foi um choque pra todos nós.
Talvez porque viveu um pouco da rua, era muito guloso… E durante toda a sua vida, tivemos que lhe controlar, pois se bobeássemos, você comia a sua comida e a do seu irmão.
Ensinamos´te a ser mais paciente, a esperar… E você também nos ensinou muito…
Você nos ensinou o valor da amizade, da proteção…
Você sempre quis nos proteger de tudo.
Não passava uma aranha pelo quintal, que você não pegasse.
Qualquer barulho estava você lá, para nos proteger.
Baixinho, Little… Você faz tanta falta! Nosso quintal ficou triste. Como espíritas, sabemos que você continua vivo em outro plano.
Sabemos que estas sadio e cheio de amigos. Entre nós ficou o aprendizado…
Não precisamos pedir, mas pedimos: Que Deus ilumine a sua jornada.
E um dia, todos nós estaremos juntos com Deus!
Nós te amamos!!!
Gilson, Edja, Ricardo, Rafael e Flávio