Lineu

Carta para Lineu

Foi em um domingo de abril que nossos caminhos se cruzaram, numa dessas coincidências da vida, que não parecem ser tão ao acaso assim.
Saí para uma caminhada, depois de quase desistir porque era tarde e estava muito quente. Um cão de rua estava no meu caminho, como tantos outros pela cidade. Mas a sua fragilidade e o seu olhar me chamaram a atenção, não consegui te esquecer ao longo da caminhada. Voltei pelo mesmo caminho, e pensei ” se ele ainda estiver lá, preciso fazer algo”. E você estava.
Amedrontado, fraco, com fome, com sede, e coberto por sarna. Te dei comida, tentei te dar água mas você não sabia beber água de um pote. Fomos a clínica veterinária, e te levei para casa.
Minha ideia era esperar você se restabelecer, e achar um lar para você. Muito antes do tratamento terminar, você já havia me conquistado.
Assim que melhorou um pouco, já me seguia pela casa inteira, hábito que durou até o fim. Você me deu toda sua confiança, seu amor, seu carinho, seu companheirismo.
Escutei de várias pessoas que você teve muita sorte, que eu salvei sua vida. Mas a sorte foi toda minha, pois nesses 2 anos e meio tive o cachorro mais querido e bonzinho do mundo.
Já estou morrendo de saudade dos nossos 3 passeios diários, de chegar em casa e procurar onde você está dormindo, de ter companhia no banheiro e no banho, de jogar a bolinha verde pra você buscar.
Me perdoe por estar longe nesse último mês, e muito obrigada por ter me esperado para a despedida.
Te amo para sempre.