Fofa

Durante mais de 20 anos eu co´habitei com os humanos, mas desde o começo sempre deixei bem claro que não me agradava me misturar com eles. Mas eles nunca desistiram e sempre traziam objetos bizarros e faziam caretas ridículas na tentativa de me agradar, algumas vezes eu ensaiava um ataque feroz sobre eles, mostrando o meu desagrado, mas eles achavam que eu estava brincando…pobres mentes desprovidas de qualquer inteligência.
Quando mais jovem, na tentativa de manter o medo (da parte deles) várias vezes capturei pássaros e deixava´os nos pés deles mostrando do que eu era capaz. Entretanto, eles simplesmente comentavam que eu era ótima caçadora.
A única investida frustada foi não ter calculado direito meu bote sobre uma pomba que rapidamente desviou e me fez cair do terceiro andar, mas sem perder a classe cai em pé e agi como se nada tivesse acontecido e que eu realmente queria descer ao térreo de forma rápida e eficiente.
Muitas vezes a minha supremacia e táticas infalíveis faziam com que alguns visitantes da raça inferior se retirassem imediatamente, espirrando e quase chorando de medo. Pena que não funcionava com todos, alguns eram mais resistentes.
Certa vez, num dia de descuido, fui sequestrada….os meliantes não pediram resgate….apenas me devolveram 3 dias depois…covardes.
Durante esses 20 anos tive de conviver com alguns seres ainda mais inferiores (todos já eliminados) como a cachorra Kayse, que era a minha vítima preferida, o atrapalhado do Simba que desde pequeno sabia quem mandava na casa, principalmente quando furei suas orelhas, assim como também sempre tive muito sucesso nas tentativas frustadas dos outros gatos de se aproximarem de mim, todos eliminados.
Com o passar dos anos, os humanos que co´habitavam comigo sabiam também quem dava ordens. Depois de muito tempo eles aprenderam que a caixa de areia devia ser trocada sempre depois de cada uso meu, carne moida só se fosse de alcatra, água gelada da fonte, escovar meus pelinhos….todos os dias. Eles sabiam muito bem das consequências caso algo desse errado, pois o meu desagrado já haviam lhe custado alguns pares de cortinas e novos estofamentos (sem contar com meias de nylon e calças de linho), além de miados que o prédio todo ouvia.
Bem, depois de eliminar todos os meus oponentes e deixar bem claro quem eu era e ao que eu vim , chegou a hora de partir e botar ordem em outro lugar onde provavelmente encontrarei a Kayse, o Simba, o Bala, a Kikia e mais um monte de animais inferiores…e é bom que eles saibam quem irá mandar no pedaço por lá.