Diana

A Diana era pra ser nossa, em uma ninhada de 3 filhotes, restou apenas ela, a mãe matou os outros.
Era uma filhotinha muito fofa, até chegar na “adolescência”, assim como todos os pastores ficou muito esquisita, mas sempre foi muito meiga conosco, carinhosa e valente, desde pequena fazia caminhada extensas, nos protegia quando outros cães apareciam por perto.
Acompanhou a mim e a meu marido durante a fase do nosso namoro, depois quando fomos morar juntos e agora viu nossos dois filhos nascer. Sempre foi atenciosa e carinhosa, nunca demonstrou agressividade com os nossos pequenos.
Obrigado Diana, pela companhia nos dias de sol, pelas caminhadas na mata, pelos lindos pulos nas lagoas, pela devoção e obediência.
Obrigada pelas risadas durante nossas brincadeiras, por ver você toda molhada e feliz, por nos acompanhar e mudar durante quase doze anos sem nunca estranhar.
Obrigada por sempre aceitar cada novo cão ou gato que trazíamos para casa, se integrar e socializar.
Desculpe pelos dias cinzas em que não passeamos com você, pelos dias que viajamos e você ficou tomando conta de casa.
Desculpe pelas broncas necessárias e desnecessárias, pela falta de atenção.
Assim como chegou de surpresa, também partiu de surpresa, foi dormir e não acordou mais.
Você sempre estará em nossos corações e sempre fará parte da nossa historia.
Obrigado sempre!