Clarinha

Sempre muito esperta, nunca levou desaforo para casa.
Delicada até para morrer.
Quanta saudade.

Maria Saide Guenze