Chocolate

Há mais de 10 anos convivendo conosco pedindo agrados e tendo seus ataques de rebeldia, o simples fato de pegá-lo no colo já era motivo de suas mordidas.
Chegou como um furacão num dia de temporal, abrimos o portão e para minha surpresa ele entrou e tomou posse da casinha do antigo dono, cachorro Sansão, que virou seu cantinho de dormir até seu último dia. Dono de seu próprio nariz era o mais conhecido da vizinhança entre cachorros e pessoas. Quando deixávamos o portão aberto era dito e feito para suas escapulidas diárias, ficava a tarde inteira passeando sozinho pelo bairro mas sempre voltava ao pôr do sol. Cada uma dessas fugidas era uma briga aqui em casa, o culpado ficava de orelha quente e logo em seguida corria atrás para tentar pegar o bicho, difícil, o vira-lata era ligeiro.
Às vezes gostava de dormir no sofá do escritório e de lá só saia quando lhe convinha e, se alguém se atrevesse a tirá-lo de lá era bom pensar duas vezes pois ele partia para suas investidas.
Foi embora de mansinho deixando muitas lembranças e saudades. Nosso querido Chocolate.