Chester

Chester, Teteco, Cheche, Che, foram tantas as formas que nós o chamamos nos treze anos e nove meses em que viveu conosco nos dando alegrias.
Um cãozinho encontrado na rua abandonado. Ninguém acreditava que uma criatura tão lindinha tivesse sido abandonada, pois foi.
Eu agradeço ao bom Deus por ter sido nossa família a encontrá-lo, pois pude ter um dos melhores companheiros que alguém pode ter.
Eu certamente posso dizer que fui amada na minha vida. Fui amada pelo Chester, assim como foi amado por mim.
Passou por tantas provações em sua vida. Sempre cuidamos do lúpus, das convulsões e nos últimos 13 meses de uma cardiopatia e um edema pulmonar.
isso tudo nos enganou. De repente você apresentou algo que não era ligado a nada disso.
Seu corpinho cansado e velhinho não aguentou e pediu ajuda para partir.
Sentimos tanto quando partiu mas tínhamos que ser fortes porque a Grace precisava do nosso apoio, sei que você entendeu.
Você sempre foi e sempre será meu amado companheiro. Nunca, jamais irei esquecê-lo. de sua Mãe, Pai e Ramon.