Brian Harry

BRIAN, meu anjinho dourado. Somente agora, dois meses após a sua transformação em estrelinha lá no céu, é que estou conseguindo escrever alguma coisa. Foram quase quinze anos de convivência diária, quantas vezes você ouviu meu choro, sentiu minhas dores, riu com as minhas palhaçadas, caminhou comigo pelo bairro, viajou de ônibus, de carro. Você foi um companheirão apesar do seu tamanho minúsculo. Você sabe que foi muito amado e ainda o é. Insubstituível. Eu sei que está muito melhor ai no céu, junto de tantas outras estrelinhas. Um beijo.