Bia Linda Mendes Torres

Bia querida.
Hoje faz um ano que você partiu. Parece que foi ontem, pois o peito ainda rasga e o coração dói de saudade de você.
Não é nada fácil viver sem você, minha companheirinha de 16 anos, minha amiga leal e carinhosa, minha filhinha linda.
Fui muito, mas muito feliz nestes anos que pudemos viver juntas. Você me deu inúmeras alegrias, me viu sorrir e chorar, me amou, me agradou, esteve comigo nos meus bons e maus momentos… Foi especial, única.
Lembro com detalhes do dia em que acordei e percebi que você estava ofegante e corremos para o hospital.Para mim era certo que você iria ficar internada para fazer exames e ser medicada e no dia seguinte eu voltaria para te buscar e viríamos para casa. Me enganei.
Seu coraçãozinho fraco e velhinho parou de funcionar duas horas depois que te deixei no hospital.
Ainda me emociono quando lembro do momento em que te entreguei para o Dr.Paulo e ele foi andando ao seu lado por um corredor comprido e eu parada te olhava e pedia pra Deus cuidar de você. De repente, você fez força pra se soltar e veio correndinho ao meu encontro. Eu, ajoelhada, recebi lambidas de cima em baixo e de repente você colocou as patinhas nos meus ombros e encostou a cabeça no meu pescoço.Eu te abracei, beijei e me preocupei na hora. Estava com cara de despedida. E foi.
Você voltou para o corredor, deu mais uma olhada para trás como quem diz: Pode ir mamãe, e foi com o médico para uma sala de exames.
Voltei para casa arrasada,chorando pois a sua atitude, o seu carinho foram diferentes de todos os outros.
Que pena, querida! Você realmente estava se despedindo da mamãe.
Foi embora e o que ficou comigo foi uma enorme saudade e a certeza de que um dia vamos nos reencontrar.
É isso que me acalma e é nisso que quero continuar crendo.
Obrigada, meu doce, por todos os anos de felicidade que você me deu. Obrigada por ter me feito tão bem.
Fique sempre com Deus e com o meu amor.
Mamãe.