Átila

Azinho, que saudade!!
Ô meu filho, como é chato chegar em casa e você não estar me esperando… levantar à noite e não ver você deitado olhando para a porta… que saudade menino… que falta você me faz, meu companheiro… tantos anos… Filhote… como era bom ter você comigo, deitado me fazendo companhia, me olhando… como era bom passar a mão nas sua cabeça, nas suas costas, sentir seu pelo, sentir seu cheiro… como era bom saber que você estava sempre me guardando… eu conhecia você tão bem e você me conhecia tão bem… você é único, é insubstituível…
Saudades… quanta falta você me faz…
Seu pai também sente falta de você.
Fique com Deus, meu filhote…
Aproveito para agradecer ao Dr. Anderson Renato Bertoldo de Itajaí, pelo carinho com que sempre cuidou de nós.
Rosana e Marcos