O Luto na Perspectiva do Pet, Como Lidar ?

Foto por Armit Karkare

Sempre ouvimos falar que os pets sentem as emoções de seus tutores. Assim como eles, nós também precisamos estar atentos aos sinais deixados por eles quando por alguma razão externa que afetou sua rotina, apresentam mudança de humor visível. Neste caso específico, vamos abordar um fato que preocupa muito os tutores: o luto do pet que fica! Ele olha pela casa procurando por seu amigo, fica prostrado e, se não for dada a devida atenção a ele, é possível que sofra por tristeza, adoeça e em casos extremos, venha a óbito.

Por isso, convidamos a Dra Larissa Rüncos da Psique Vet para auxiliar com suas palavras aos tutores a passarem por esse momento dando ao pet enlutado toda a atenção necessária para a superação da perda do amigo que partiu, confira :

O luto é um estado emocional relacionado a uma perda importante. Pode acontecer quando um animal perde um indivíduo com o qual convivia e tinha um forte vínculo afetivo, seja pela morte desse amigo ou pela perda pelo distanciamento abrupto por outros motivos. É um processo que envolve um conjunto de reações comportamentais e emoções. Na maioria dos casos envolve mudanças comportamentais decorrentes de emoções negativas como a tristeza, o desamparo e a falta da companhia e interações que costumavam haver no dia-a-dia.

Os comportamentos demonstrados tendem a ser de desânimo, diminuição da motivação para brincar, diminuição da motivação para comer ou para fazer outras coisas que o animal goste de fazer. Podem ficar menos motivados a passear, para receber carinho e evitar o contato social, se isolando mais. Alguns animais aumentam a frequência de vocalizações e passam a latir, miar ou chorar mais. Outras vezes percebemos um aumento do apego direcionado à
outra pessoa ou animal da casa, buscando mais proximidade e atenção com maior frequência.

Nem todos os animais apresentam todos esses comportamentos alterados simultaneamente, e também a intensidade das alterações comportamentais variam muito de paciente para paciente. O importante é entendermos que os cães e gatos podem sofrer de luto após a morte de um ente querido, e estarmos atentos para suas emoções e comportamentos nesse momento.

O luto pode surgir de forma branda e eles podem melhorar sozinhos em pouco tempo. Já outros indivíduos podem sofrer de um luto mais intenso e não melhorar sozinhos, e então precisar de ajuda para superar, através da terapia
comportamental. Por isso é importante estarmos atentos e buscar ajuda quando necessário.

O luto pode levar a um quadro gradativamente mais depressivo, comprometendo a saúde emocional de maneira importante e até colocando a vida do animal em risco. Cães e gatos amam seus familiares, assim como nós e sentem falta de entes queridos.

Dicas práticas que podem contribuir para uma melhor qualidade de vida de seu pet amado no
momento de adaptação :

  1. Mudar os objetos de lugar para que o pet saia da rotina.
  2. Aumentar a quantidade de exercícios aeróbicos e lúdicos como passeios, brincadeiras, enriquecimento alimentar.
  3. Inserir na rotina novas atividades que ele não fazia, e que causem distração e divertimento.
  4. Não se ausentar por longo período e se precisar, deixar alguém próximo para que ele não se sinta abandonado.
  5. Dedicar mais tempo a ele e investir em novos passeios.
  6. Consultar sempre um profissional especializado para facilitar a convivência no processo de luto.

Vamos cuidar da saúde emocional de nossos queridos companheiros, que fazem parte da nossa família!

Dra. Larissa Rüncos é Médica Veterinária dedicada a Psiquiatria Animal. Atende cães e gatos com transtornos emocionais há mais de 10 anos.
@psiquevet
www.piquevet.com.br