O Choro por Trás da Perda de Um Amigo Pet

Desde pequenos, já ouvimos: “Por que você está chorando? Qual o motivo do choro desta vez?“ Ou “Pode engolir este choro!”. Assim, vamos nos desconectando da naturalidade e da importância de extravasar nossos sofrimentos pelos olhos. É preciso haver motivos e situações concretas, para elas surgirem.

É preciso se esconder em um canto da casa ou o fazer debaixo do chuveiro. Se elas surgem na frente das pessoas, precisamos pedir desculpas e tentamos secá-las rapidamente em um movimento urgente de cessá-las. Parecem proibidas, ou nos alertam que estamos perdendo o controle de alguma situação. A ação do chorar na partida de nossos queridos pets, ainda parece ser algo restrito e incabível, já que o luto animal ainda se encontra classificado entre os lutos não reconhecidos socialmente. .

Algumas lágrimas acabam afogando algumas pessoas, porque simplesmente elas não se acham no “direito” de chorar pela perda de seus queridos animais de estimação. “Devo chorar? Posso chorar sem parecer ridículo? O que as pessoas irão pensar se eu chorar pela perda do meu pet?” E assim, vamos acumulando uma série de justificativas para não nos permitirmos sofrer pelos nossos próprios motivos. Vamos nos afogando dentro do próprio sentimento, simplesmente por não aceitarmos sermos seres humanos com suas fragilidades e impotências. Por não admitirmos nossas faltas, nossos medos, nossos vazios. Por não nos olharmos com a visão da imperfeição.

Não se afaste do que parece temeroso, não empurre para baixo do tapete. Não se afogue no seu autojulgamento. Quando a lágrima surgir, deixe-a escorrer. Se agigantar sobre sua face. Dar-lhe a oportunidade de usufruir das sensações, depois de um choro bem chorado. Daquela que faz nos sentir ter ido para uma guerra, mas ter voltado. Suas lágrimas não precisam ter motivo, nem razão. Se precisar, chore sim! Deságue com a força que precisa, para abrir novos caminhos, pensamentos, olhares.

E eu sei que tem até um cantinho especial neste espaço singelo e respeitoso do Pet World, que se chama “Cantinho da Saudade” para que a expressão das suas verdadeiras emoções seja processada e sempre ressignificada diante a sua importante perda. Portanto, se a vontade lhe bastar, deságue…

Um grande abraço!

Psicóloga Fabiana Witthoeft- CRP 08/08741

Imagem: Luis Galvez para Unsplash